Elvedon (Unettomuus Alkoholia) – uma segunda cidade

A embriaguez dos meus sonhos morre já e finda em mim

não renasce…
E não me sinto mais disperso
A junção da tua face com a minha perspectiva a continuidade de algo
que não creio
mas
que no fundo
me faz sentir
Os perfis que surgem em frente
não são mais que sentimentos perdidos e
falsas partidas
onde a vida me atormenta
Sinto-me em traço… Nada mais consigo prever
É a hora…
toda ela consumida por ocas palavras que ficaram por dizer
E sem te sentir nada sou que um mero olhar
– A mente vai-se fechando –
não mais se abre ao passado fúnebre e penoso
que a dor me trouxe
– São tantos os desejos que queria tornar. Todas essas fontes que desejei abrir se esgotam
Perco a esperança…
Decido morrer…

A embriaguez nada de novo me trás…
nem a luz… nem a escuridão
“a indefinição, talvez”
E eis que a lucidez vem em meu caminho
e tudo perco de novo sem a noção da sua certeza

Suportas o meu corpo mole e debilitado
e sussurro gemidos que não transparecem ORDEM
(que julgo nunca ter tido)

Quanto mais escrevo mais o passado se revela,
e se ao menos pudesse eu descobrir o futuro, talvez soubesse
o que te dizer

E eis que também se esvazia
(como o acto da embriaguez)
a insanidade espiritual do meu ser
– Nunca mais anseio não te ver…

– De volta ao início –
onde o tempo cessa nos relógios
e a minha respiração bloqueia…
a última resistência lúcida:
Perdi-me para não mais me encontrar
O meu amor, diluído num copo, transborda, agora, em ódio
Resta-me saber que não te irei achar
pois não me posso reencontrar

(O espírito encerra e os olhos fecham-se com a vontade de o amanhã não existir)

Anúncios

~ por Tiago Pinto em Fevereiro 5, 2009.

2 Respostas to “Elvedon (Unettomuus Alkoholia) – uma segunda cidade”

  1. Viver “embriagado” em memórias pode significar muita coisa, uma delas pode passar pelo deixar escapar oportunidades presentes. Oportunidades únicas que se esfumam sem nos apercebermos de tal. O desejar não existir, não é, nem pode ser nunca caminho. No entanto o passado também nunca se deve esquecer completamente. Para melhor ficares a conhecer a minha opinião, recomendo-te a visitares novamente este link:
    http://existirduartedias.wordpress.com/2008/12/29/passado-futuro/
    Abraço

  2. Meu caro…

    Estou a comentar sem realmente o fazer.. isto porque na verdade já o fiz há algum tempo. Mantenho e reforço o que pensei a primeira vez que respirei o que escreveste.

    Gosto de te encontrar assim..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: